Sábado, 30 Março 2019 04:26

Problemática do uso de exames com radiação nas doenças coronárias é foco na 1.ª Reunião do Heart Center

Apesar de as recomendações das Sociedades Científicas e da Comunidade Europeia da Energia Atómica (EURATOM) apontarem para o uso preferencial de métodos complementares sem radiação, não é essa a prática em Portugal e noutros países da Europa, onde o primeiro exame com imagem usado para estudo da doença coronária continua a ser a cintigrafia de perfusão miocárdica.

Neste sentido, o tema vai estar em destaque durante a 1.ª Reunião do Heart Center, do Hospital da Cruz Vermelha, que decorre amanhã, dia 30 de março, no Museu do Oriente, em Lisboa.

Numa altura em que a prevenção e tratamento das doenças cardiovasculares se reveste de maior importância, tendo em conta que esta é a primeira causa de morte de homens e mulheres europeus, discute-se cada vez mais a polémica em torno do uso da radiação.

Assim, a Reunião vai receber especialistas nacionais e internacionais, para trocar experiências e divulgar trabalhos clínicos e de investigação sobre o tema, com uma ênfase na ecocardiografia de sobrecarga e nas suas aplicações na prática clínica.

Um dos mais prestigiados nomes convidados é o do Prof. Doutor Eugénio Picano, especialista italiano do Instituto de Fisiologia Clínica de Pisa, Itália, autor de mais de 250 artigos originais publicados em revistas científicas e pioneiro no uso da ecografia de sobrecarga. O especialista vai ajudar a ilustrar a forma como estas técnicas podem revolucionar o tratamento dos doentes, com uma significativa redução da morbilidade e mortalidade. Contrastam, assim, com os exames que recorrem ao uso de radiação, que, sempre que possível, e em nome do interesse do doente, podem e devem ser substituídos.

“As várias técnicas complementares de diagnóstico em Cardiologia têm sofrido um avanço extraordinário”, explica o Prof. Doutor Carlos Cotrim, responsável pelo laboratório de ecocardiografia do Hospital da Cruz Vermelha Portuguesa e um dos responsáveis pela comissão organizadora do evento.

“A 1ª reunião de ecocardiografia do Hospital da Cruz Vermelha, que ocorre num momento de viragem desta instituição, pretende sublinhar o papel-chave que a ecocardiografia continua e certamente continuará a desempenhar na avaliação dos nossos doentes”.

A Reunião conta com o apoio da Sociedade Portuguesa de Cardiologia (SPC). O programa completo já disponível em www.researchhcv.com.