Domingo, 14 Abril 2019 00:08

Teste de sangue para detectar o câncer da mama pode substituir mamografia?

Um exame de sangue que detecta precocemente o câncer de mama pode substituir o exame de mamografia. Em uma única coleta, será possível se prevenir contra diferentes tipos de tumor, até mesmo alguns dos quais não contam ainda com esquemas de rastreamento eficazes. O teste sanguíneo que está sendo desenvolvido pelos pesquisadores do Hospital Universitário de Heidelberg, na Alemanha, promete ser capaz de identificar de forma confiável se um paciente tem a doença.

O exame, apelidado de HeiScreen, pode detectar câncer no sangue até antes de a doença se tornar visível. Os especialistas apontam que pode ser utilizado para detectar também câncer nos ovários.

Detecção precoce

O diagnóstico precoce é crucial para reduzir as taxas de morte por câncer de mama e garantir que as pacientes recebam tratamento a tempo. Com a detecção antecipada, a chance de recuperação completa é de 95%.

Cabe ressaltar que o teste não está sendo desenvolvido para substituir métodos convencionais de diagnóstico. Atualmente, as principais técnicas de detecção do câncer de mama são mamografias, ultrassonografias e ressonâncias magnéticas.

Segundo os pesquisadores, o HeiScreen deverá complementar os métodos tradicionais, mas será “um fardo muito menor para as mulheres” por não ser doloroso, custar menos e não expor as pacientes à radiação.

O exame sanguíneo também é uma alternativa viável para pessoas cujas glândulas mamárias têm tecido denso e não conseguem obter resultados eficazes com mamografias. O teste servirá ainda para aquelas mulheres que não podem ser submetidas a exames clínicos tradicionais por razões médicas.

Serão necessários apenas alguns mililitros de sangue para o teste, que pode ser realizado por clínicos gerais. Os pesquisadores esperam que o procedimento não invasivo encoraje mais mulheres a fazerem o exame.

Rastreio do câncer de mama: nova diretriz muda recomendações sobre mamografia

Precisão

Com base num procedimento de biópsia líquida, os especialistas de Heidelberg não estão criando uma nova forma de detectar o câncer, mas estão refinando um método já existente para identificar especificamente o câncer de mama.

Nos últimos 12 meses, foram examinadas cerca de 900 mulheres, 500 das quais eram pacientes de câncer de mama. As outras 400 eram pacientes saudáveis.

Segundo Christof Sohn, que dirigiu o estudo, a maior vantagem do teste de sangue é que ele reage muito sensivelmente, especialmente em mulheres com menos de 50 anos.

Em jovens, o exame tem uma taxa de precisão de 86%. Em pacientes com mais de 50 anos, a taxa de exatidão cai para 60%.

Pesquisadores na Austrália e nos Estados Unidos também vêm trabalhando num teste sanguíneo de câncer chamado CancerSEEK. O exame tem uma taxa de exatidão de 70% e detecta oito tipos diferentes de câncer.

Disponibilidade no mercado

A pesquisadora Sarah Schott, da equipe do Hospital Universitário de Heidelberg, estava convicta de que o teste estaria disponível no mercado ainda este ano e que poderia substituir com vantagem a mamografia na detecção do câncer da mama, pelo menos nas mulheres com menos de 50 anos.

No entanto, há algumas semanas, ela e sua equipe pediram desculpas publicamente, pois ainda faltam dados decisivos sobre os benefícios do teste de sangue e que ele ainda deve demorar a ser aprovado para a sua comercialização.

A equipe responsável pelo estudo não havia mencionado para a imprensa a taxa de alarmes falsos que o exame de sangue retornou – quantas mulheres saudáveis ​​tiveram um alarme falso com o método – que estava em 30%. Além disso, os resultados dos testes ainda não foram publicados em uma revista de revisão por pares, como é a prática científica usual na Alemanha.

No momento, só nos resta aguardar para que os estudos avancem e sejam positivos para que o teste de sangue para detectar o cancro da mama seja lançado e possa, quem sabe, substituir com eficácia a mamografia.